dire

dire

domingo, 2 de fevereiro de 2014

ÁGUA VIVA





Estou atrás do que fica atrás do pensamento. Inútil querer me classificar, eu simplesmente escapulo. Gênero já não me pega mais. Além do mais a vida é curta demais para eu ler todo o dicionário e descobrir a palavra salvadora. Entender é sempre limitado. As coisas não precisam mais fazer sentido. Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada. Porque no fundo a gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro.

Clarice Lispector- Do livro ÁGUA VIVA

imagem- Devianart


2 comentários:

Willmondes disse...

Olá, Luisa.

Reinventar-se talvez seja a melhor forma de exercer a liberdade.

Adorei a postagem, seu espaço continua lindo, como sempre.

Meu abraço!

Luísa Ataíde disse...

Muita gente passa por aqui, poucos deixam rastros.
grata,
Luísa