dire

dire

terça-feira, 23 de agosto de 2011

NOS BRAÇOS DOS ANJOS



À memória, necessária , de Brenno Ataíde  Lessa


Nós não compreendemos muito.
Porque  por mais que tentamos traduzir os idiomas do mundo
Há a linguagem dos que não caminham um passo após o outro.
Eles saltam a janela, e vivem a plena capacidade de estar só.
Vivem só, riem só, sonham só. 
Há cores que só eles pintam, há trilhos que nunca alcançaremos.
Isso porque,  pisamos, apenas,  as pedras das ruas -  no máximo os telhados das casas.
Eles alcançam as asas do vento e às vezes tombam como pássaros feridos.
A palma da mão de Deus os acolhe e protege.
 O sopro da vida enche-lhes de novo os pulmões.
Porque a vida é cíclica e nunca se esvai.
Somos eternos.

5 comentários:

Rosangela disse...

Que lindo prima... Eu agradeço de coração. Bjs, Rô.

deia angel jansson disse...

q coisa mais linda............maravilhosa maneira de lembrar........muita força e fé nesse coração minha amiga!!

Sissym disse...

Isso é muito bonito, muito mesmo.
As palavras sábias e vindas do coração, podem acalentar os corações saudasos dos seus.

jorge vicente disse...

somos Vida.

Maria Izabel Viégas disse...

Passando para agradecer tua visita, querida amiga Luisa!
E, sempre encantada por tuas poesias.
A vida é eterna, nossos amados serão por todos o sempre parte de nós e nós, eternamente na memória deles.
Estou lendo as postagens nos teus outros blog! Belas partilhas.
Amei!
Beijos no teu coração.
Obrigada por lembrares de mim!